No cantinho do Brasil ao extremo do nordeste temos o Rio Grande do Norte banhado pelo Oceano Atlântico ao norte e a leste. Faz divisa com a Paraíba ao sul e o Ceará a oeste.

Quem nasce neste estado leva o nome gentílico de ‘potiguar’ ou ‘norte-rio-grandense’. Potiguar era o nome de um povo tupi que habitava a região desde o início do século XVI. De qualquer forma, não foram os primeiros já que de acordo com estudos arquelógicos, o território que delimita esse estado nordestino já era habitado há milhares de anos. Até mesmo piratas franceses que tinham os índios como aliados passaram a habitar a região para explorar a sua costa.

A economia estadual sigue avançando, baseada no comércio, na indústria têxtil, na agroindústria e no turismo, graças ao litoral de 410 km de praias, ganhando o título de possuir o segundo maior litoral dos estados brasileiros, perdendo apenas para a Bahia. Junto com o Ceará, é o maior exportador de crustáceo do Brasil. Tem um grande potencial de sal mineral e petróleo terrestre. A carcinocultura, a fruticultura irrigada e a pecuária são os destaques na agricultura. Há muito a ser explorado fora dos roteiros de bugues que cortam as areias e dunas, levando turistas a desfrutarem o melhor do entorno de Natal, a capital dos potiguares. A via costeira é repleta de hotéis e um lindo centro histórico  que atraem a atenção de quem visita, inclusive a de turistas de capitais europeias. Pipa é o lugar certo para quem busca badalar, especialmente à noite, na Avenida Baía dos Golfinhos. Já pra quem busca sossego, o segredo é se afastar da capital, como ir a São Miguel do Gostoso que possui um ar rústico e singelo, por exemplo, além de oferecer calmos passeios de canoa pelo Rio Aratuá.