Transjaó

 

Procure sua passagem

A viação Transjaó nasce de uma longa data que remete desde a infância de seu fundador. O senhor Baltazar Pereira veio de uma família muito pobre, porém trabalhadora. Como é de praxe para crianças em sua situação, teve muitos obstáculos pelo caminho, mas ... Ver más

Transjaó

A viação Transjaó nasce de uma longa data que remete desde a infância de seu fundador. O senhor Baltazar Pereira veio de uma família muito pobre, porém trabalhadora. Como é de praxe para crianças em sua situação, teve muitos obstáculos pelo caminho, mas nunca desistiu, sempre mantendo o foco nos seus objetivos.

Essa fase de que criança deve apenas brincar não era comum no passado. As crianças já ganhavam responsabilidade desde cedo e com o seu Baltazar não seria diferente. Teve que deixar de ir à escola para trabalhar com apenas 10 anos de idade. Apesar de parecer algo horrível na perspectiva do mundo de hoje, na época, as crianças amadureciam muito cedo, tinham o senso de responsabilidade, e se comprometeram a trabalhar, pois queriam ajudar os seus pais a terem uma vida melhor. Trabalhou como balconista e também, como cobrador. Mesmo exercendo essas profissões que não estão na lista das mais bem pagas, seu Beltazar conseguia realizar quase todo os seus desejos, inclusive o de ajudar a sua família, coisa que ainda o faz. 

Tudo começou a mudar ao trabalhar com o Oscar Aurélio. Juntos compraram seu primeiro ônibus e, com o tempo, foram comprando cada vez mais, ao ponto de seu Baltazar se tornar um dos empresários mais prestigiados da sociedade.  A viação Transjaó, atualmente, se tornou uma das maiores empresas da região oeste no estado do Mato Grosso. Conta com mais de 300 funcionários vinculados à empresa direta ou indiretamente. Trabalha na área de transporte terrestre de passageiro, transporte escolar e fretamento. A Transjaó gira a economia de Cáceres e a região em volta.

A cidade de Cáceres fica às margens do rio Paraguai e isso favoreceu o desenvolvimento pesqueiro na região. Tanto é que entre abril e maio, anualmente, acontece o Festival Internacional de Pesca. Caso não pesque, não se sinta constrangido, pois é comum que quem vai de acompanhante aproveite os passeios de barco que permitem apreciar a natureza mais de perto. Durante o percurso, aparecem vários tipos de aves que pertencem a essa área do Pantanal. E sim, é possível hospedar-se no barco, são os barco hotéis da cidade.